Espaço Cultural no Rocha recebe Mari Romano e Pedro Carneiro

Mari Romano é um nome a ser lembrado. Artista plástica, cantora, compositora e instrumentista, ela é um nome em ascensão na cena carioca com performances feministas do supergrupo Xanaxou. Agora, a artista acaba de embarcar em um novo momento de sua carreira, com o lançamento de seu álbum de estreia solo, através do selo RISCO

Mari Romano e os Pintores da Moda é um projeto que vem para a apresentar sua sonoridade única no álbum Romance Modelo. Enquanto alguns acordes de suas 10 faixas remetem à nostalgia do passado, outros são solares e abraçam o que vem adiante. Para compor essa mescla sonora, Mari convidou músicos referência na cena independente carioca: Marcelo Callado (Banda Cê, Do Amor), na bateria; Gustavo Benjão (Marcelo Camelo, Lucas Santtana, Do Amor) no baixo; Pedro Carneiro (Boreal) na guitarra, Thomas Jágoda nos teclados (Exército de Bebês) e a própria Mari assumindo guitarra, voz e a direção musical do álbum.

Em paralelo, Mari Romano desenvolveu grandes parcerias na cena carioca: vale destacar o projeto Xanaxou, que reúne mulheres instrumentistas – Bel Baroni, Ana Cláudia Lomelino, Rafaela Prestes, Laura Lavieri, Giulia Drummond e Camila Costa -, além de uma equipe técnica formada apenas por profissionais mulheres. O grupo é conhecido por suas performances de valorização da força e do corpo feminino e atualmente trabalha em seus novos singles. Compõe para projetos alheios como Mãeana e produz artistas novos como Lorena Pipa.

Vovô Bebê

Pedro Dias Carneiro, ou Vovô Bebê, como se apresenta, mostrará canções do seu segundo disco ‘Coração Cabeção’ lançado em março deste ano de forma independente. O cantor, compositor, multiinstrumentista e produtor de 31 anos fez a sua estreia fonográfica em 2015, com o “Vovô Bebê”, alcunha que virou o seu nome artístico.’O álbum é uma homenagem ao produtor mineiro Chico Neves. “Com ele aprendi a produzir, gravar e mixar, e hoje trabalho no estúdio que ele construiu. É a minha forma de agradecer por tanta generosidade”, diz Pedro. Aliás, a expressão “disco solo” se encaixa perfeitamente, já que foi o próprio quem compôs todas as músicas – como “Sobre o natural”, “Êxodo”, “Auto ajuda”, “Jéssica” e “Alceu” (essa última em parceria com Brisa Marques), gravou os instrumentos e mixou as faixas. Ou seja, tudo aquilo que assimilou na convivência com Chico. “O disco ficou mais blues e pop do que pensei. Fui fazendo sem pressa, usando os instrumentos que a rapaziada deixava aqui, no estúdio. As guitarras foram todas gravadas em linha, por exemplo. Não foi um disco planejado. Só vi a unidade depois de pronto”, comenta, com a leveza de quem há muito traduz os sentimentos em música sem elaborar demais.

Serviço

Quintal Aberto #14 | Mari Romano y Pedro Carneiro

Dia e hora: Sábado, 23 de Setembro às 18h30
Local: 57 Casa Aberta | Rua 24 de Maio, 57 – Rocha
Valor: Entrada franca | Contribuição consciente

In this article